segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Johann Sebastian Bach (1685-1750)

Apesar de ter composto a mais bela missa (em Si menor), foi protestante. Trabalhou como organista na Igreja de Anstadt, com magnífica sonoridade, porém Bach "enfeitava" os hinos que tocava durante os cultos, o que lhe causou muitas reclamações dos fiéis porque estes estavam acostumados com a mesmice de uma música simples. Segundo eles, a música ouvida era bastante variada e tinha sons estranhos que acabavam por confundir a congregação. Bach fora contratado por outra Igreja por um bom salário, na função também de organista, ele era bem tratado inclusive com direito a transporte. Mas desistiu do cargo e os membros do corpo administrativo respiraram aliviados, pois Bach era bastante exigente.
Sua personalidade era bem humorada e boêmia, considerado um homem do povo, robusto, simpático, forte e musculoso. Devido às histórias familiares de uma geração para outra, seu rival na época foi Jean Louis Marchand. Louis considerava-se o primeiro organista do mundo até aparecer o nosso Bach e propor um duelo musical com data e hora marcada, mas Jean não apareceu porque havia voltado para a sua adorada França e desta forma, Bach tornou sua reputação insubstituível.
Quando o sucesso lhe subiu a cabeça começou seu declínio musical e moral, suas composições perdem qualidades, engorda cada vez mais. A população não entendia que se tratava de um gênio, para eles bastava um organista que tocasse a música da igreja de forma simples e convencional. Bach foi organista em : Ohrdurf, Anstadt, Mülhausen, Lübick, Leipzig e músico na corte de Weimar, favorito do Rei Frederico "O Grande". Nesta fase Sebastian já estava velho e curvado mas seus dedos ainda eram jovens. O músico era muito brincalhão e vivia rodeado de jovens, quando seus alunos cansavam-se de seus monótonos exercícios, rapidamente escrevia prelúdios para serem tocados, acabava servindo como uma forma de relaxamento.
Na vida afetiva, casou-se duas vezes e teve 20 filhos. Dentre os 20, destacaram-se Johan Friedrich e Karl Emanuel, que herdaram a genialidade do pai. As composições de harmonias vocais eram livres, onde cada voz improvisava a sua própria melodia e as outras se confundiam numa unidade concordante. O segredo da harmonia só o exímio compositor sabia.
Aos 65 anos já estava no fim da sua vida musical, seus olhos fraquejavam e já era preciso ditar as composições. Faleceu durante à noite de um insulto apopléctico, mas sua morte ainda é questionável. A viúva gastou rapidamente as economias do falecido e depois de morta fora sepultada em vala comum devido às finanças. Sua música ficara esquecida num armário na sacristia de São João e quando um aluno de catecismo precisava de um pedaço de papel para embrulhar merenda ia direto ao armário e arrancava uma folha dos manuscritos de Bach. Enquanto Beethoven compunha sua Quinta Sinfonia, a última filha de Sebastian vivia os últimos dias de sua vida dentro de um asilo. A família teve um triste final.
Principais composições:
Peças para Coro: Paixão Segundo São Mateus; Paixão Segundo São João; Missa em Si menor; oratório de Natal: Baurern Cantata e Cafee Cantata
Peças Instrumentais: Concertos de Brandenburgo para orquestra(1-6); Concerto em estilo Italiano; Sonatas para violino e piano(1-6); Suítes para orquestra(1-4); Fantasia cromática e Fuga; Cravo Bem Temperado(livros I e II); Suítes francesas(1-6); Suítes inglesas(1-6); Variações "Goldberg"(1-32); A Arte da Fuga; Oferenda Musical para piano forte; Prelúdios; Fugas; Tocatas etc.

Remédio para bronquite (cultura indígena)

1 lasquinha de casca de angico 3 pontas de ramos de marcela grega 1 garrafa de cachaça Todos os ingredientes devem ser misturados numa g...